Pesquisar este blog

Carregando...

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

CICLO DE CINEMA E MODA : FILME A DUQUESA - JO SOUZA


Cena 1: O discurso do poder e a sua roupa da duquesa. Fazer uma comparação com a Diana da Inglaterra o u Grace Kelly em Mônaco. Aparência, política, traição e jogo são temas recorrentes no filme.
Cena 2: A roupa não somente aparece na visualidade e narratividade do filme, mas também é enfatizada nos diálogos/ discursos dos personagens.Quando ela vai passar as férias em Bath, ela é apresentada ao público o mestre de cerimônia diz:
- “E o que ela vai vestir hoje a noite aguardo vê-las vestindo amanhã” e termina:“ A imperatriz da moda”. Fenômeno de imitação distintiva da corte a cidade.


Quando o duque vai retirando as camadas das roupas intimas da duquesa, ele pergunta a ela: -“Por que as roupas femininas são tão complicadas?” Ela responde: “- A roupa das mulheres é uma forma de se expressar”. Ao pegar a tesoura para cortar as camadas ouvimos o som do objeto cortante no tecido.
Em outra cena, quando eles se encontram no quarto e ele diz para ela: “O vestido é sua obra de arte?” e ela responde que sim.

A cartela de cores do figurino da Duquesa é marcada por sua mudança de estágios: dos tons claros aos tons escuros. Os tecidos leves e transparentes até os mais pesados (fardo do casamento), a relação com ambiente interno e externo, com o tempo noite e dia. Roupas intimas. Assim como a modificação no uso dos acessórios e penteados a fontange (uso de perucas em cima de uma touca) no inicio tem efeitos verticais e depois vão ficando mais cacheados e horizontais.
Nota: os homens vão usar perucas até 1789.

Na primeira cena, ele dentro do castelo observa a futura duquesa brincando no jardim. Mais adiante, em outra cena ele observa do mesmo ângulo as crianças brincando e comenta da felicidade de ser criança.
A mãe aparece em 5 cenas que são essenciais para o conflito com a Duquesa e seu figurino também passa por uma mudança de cor dos tons claros ( na gama dos terrosos) a última cena quando ela aparece de preto.

A mesa é o lugar de convívio social: jogar e comer. Espacialidade onde são discutidos os assuntos de maior tensão. A duquesa usa a cor rosa quando pede para se separar e depois, verde quando tem a intenção de trair o marido.
O figurino invade o corpo do ator e tudo que o rodeia, integrando-se ao trinômio da representação: espaço, tempo e ação que se manifesta por seu movimento dramático. A sua postura corporal vai depender do seu status social.
As linguagens presentes no filme: pintura, escultura, gravura, dança, folhetins e teatro.
O desfile de Moda presente no “A Duquesa” filme que ganhou o Oscar de melhor figurino de 2008, o cenário é a Inglaterra, em 1774(séc.VXIII), a moda era o motor da economia, no comercio urbano como forma de ostentar a posição social. A vestimenta da época permite detectar a posição e conquistar prestígio. Não é fácil definir onde começa e termina o figurino, pois o corpo (gestual, ritmo, postura) e a roupa (intima ou não), os acessórios (capuz, faixas na cintura, luvas, plumas, chapéus, pelerines, flores, laços, as perucas, a maquiagem, as jóias) estão fazem a composição do arranjo visual do personagem. A materialidade do figurino é a primeira impressão do telespectador e seu primeiro contato com o ator e o personagem. O figurino pode caracterizar o meio social, época, estilo e preferências individuais, além da localização das ações do personagem ao ponto de transformar seu corpo numa partitura gestual.

As roupas da Duquesa eram estruturadas com o efeito de rigidez, dignidade e seriedade. Projetando seu corpo para frente com imponência, e austeridade, modificando as suas atitudes e gestos. Um dado contraditório: O discurso da Duquesa igualdade e seus ideais liberais (iluminismo), contrastando com seu figurino conservador e rígido(aristocrático).Para o telespectador se trata de figurinos de época, mas indo além, na época os iluministas já propunham roupas mais leves e “naturais” que liberassem a mulher de suas amarras costumeiras.
A Duquesa promovia um verdadeiro desfile de moda e, como os paparazzis atuais, a sua presença em eventos sociais era noticiada pela imprensa local, os desenhistas faziam a sua caricatura para os folhetins satirizando suas atitudes e sua aparência de frivolidade. Em outra cena com a presença de “jornalistas”, uma casa de espetáculos encena a peça de teatro “Um mau casamento” que retrata a própria vida da Duquesa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Eu estou muito contente com sua participação...aprender é compartilhar o saber.

beijos jo souza

EM 2011

EM 2011